Matheus Prado

Escrever é simples, mas não fácil

Olha eu aqui! Posso até ficar escondido por um tempo, mas eu estou sempre, para ajudar vocês, meus amigos. E hoje, para celebrar essa volta, vou falar sobre o ato da escrita. Afinal de contas, escrever é extremamente difícil. Mas sentar e começar a digitar é bem fácil. Então, por que os escritores sofrem tanto para iniciar o ato que, de certa forma, define o que eles são? É bem simples: não é a escrita que é o problema. É o escritor.

Escrever é difícil porque somos humanos e humanos não gostam de gastar energia. Passamos o dia inteiro procurando desculpas para procrastinar no que devemos fazer.

Aposto que você já fez como eu: foi dormir pensando que, no outro dia, acordaria bem cedo e sairia para caminhar por alguns minutos. No outro dia, você até acordou cedo, mas nem conseguiu sair da cama. Quando se levantou, pensou em lavar a louça, cortar a grama ou limpar a casa, mas acabou deixando tudo pro fim de semana.

Isso não faz de você a pessoa mais improdutiva do mundo. Todos nós somos assim, com raríssimas excessões. E não é diferente com a escrita. Mas o que você pode fazer para mudar isso? É muito simples. Comece a escrever.

Não tente escrever um livro inteiro num único dia. Comece pequeno. Um parágrafo por dia. Depois, suba para um página por dia. Depois você pode evoluir para cinco páginas por dia ou talvez dez.

É assim que fazemos. Um passo de cada vez. Quando você começa pequeno, você aprende mais. Quando você vai lá e escreve e cumpre o seu objetivo, você tem uma pequena vitória na direção do seu objetivo. Mas quando você falha, isso não pesa tanto, porque foi apenas um pequena derrota. No outro dia, você pode recomeçar.
Mas você deve se levantar e fazer tudo de novo amanhã.

Matheus Prado