PERGUNTAS FREQUENTES

Confira abaixo uma lista com as perguntas mais comuns feitas ao autor em entrevistas. Caso você tenha uma dúvida que não foi respondida aqui, pode usar o espaço para comentários para enviar sua pergunta. Ela será respondida tão logo for possível.

Não. Antes de tudo eu queria ser vaqueiro. Depois quis ser animador de desenhos animados. Depois quis ser quadrinista. Depois quis ser jogador de basquete. Depois quis ser marceneiro. Depois quiser ser guitarrista de uma banda de Heavy Metal. Depois quis ser publicitário. Só depois de tudo isso que eu quis ser escritor.

Por mais que houvessem outras prioridades na minha vida, eu sempre adorei escrever, desde a pré-escola. Hoje, acho que isso ficava gritando dentro de mim enquanto eu tentava fazer outras coisas. Era por isso que eu sempre tinha um pedaço de papel e uma caneta junto a mim, independentemente de onde estivesse. Agora, olhando para trás depois de tantos anos, sinto que fiz a escolha certa. Eu amo escrever histórias e não consigo imaginar como seria a minha vida se eu tivesse fazendo outra coisa.

Eu fui criado como católico, com batismo, primeira comunhão e tudo mais. Só não fui crismado. Conforme fui crescendo, frequentei por curtos períodos de tempo, muitas outras igrejas a convite de amigos ou por mera curiosidade. Mas, a verdade é que há muito tempo que não frequento nenhuma igreja, seja cristão o qualquer outro direcionamento que seja. Me sinto melhor assim, na verdade. Eu acredito em Deus e leio a Bíblia sempre que posso, mas não consigo enxergar muitas vantagens em frequentar uma igreja.

Tolkien. Isso é inquestionável. Sempre amei os livros do Tolkien com todas as minhas forças. Mas é claro que há muitos outros autores que eu gosto, como Arthur Conan Doyle, Stephen King, Agatha Christie, Eduardo Spohr, Paulo Coelho, Fabio Yabu, Dan Brown, Harlan Coben e JK Rowling. Só não se esqueça que Tolkien é o número um. 😉

Tocar guitarra. Toco desde os 13 anos e isso me trouxe muitas alegrias. Conheci minha esposa em um show onde eu estava tocando e essa já é uma grande conquista. Tocar guitarra deixa minha vida muito divertida e eu só consigo pensar em uma outra profissão além de escritor, hoje em dia: músico.

Sim. Estou tocando em uma banda de covers de rock, embora façamos pouquíssimos shows. Também tenho um projeto solo onde pretendo mostrar algumas composições próprias que habitam minhas gavetas há muitos anos.

De vários lugares. Ver um homem cuidando do jardim no quintal em frente à sua casa pode me inspirar a escrever uma história sobre um assassino usava os corpos de suas vítimas como adubo para suas flores. Ver um avião pousando pode me inspirar a escrever sobre um dragão que varria o reino com rajadas flamejantes. A inspiração está em todo lugar e o papel do autor e saber enxergá-la da melhor maneira possível. É isso que eu tento fazer todos os dias.

Infelizmente, não. A verdade é que já tenho projetos para mais de uma vida.

Este site está repleto de ótimas dicas sobre escrita criativa, publicação e busca por editoras. Veja todas elas AQUI. Embora eu tenha pouco tempo para dedicar a isto, sempre gosto de ajudar quem querem se tornar escritor. Caso tenha uma dúvida muito específica, você também pode me enviar um e-mail através deste formulário, que eu responderei o quanto antes for possível.

Em primeiro lugar, você precisa escrever algo ame e acredite. A primeira pessoa a gostar do seu livro tem que ser você. O segundo passo é escrever algo que seja novo, diferente e, principalmente, publicável. Se o seu original for rejeitado por muitos e muitos editores, você deve pensar que, talvez, ele não seja tão bom quanto você acha. Talvez só precise ser reescrito, mas talvez precise ser abandonado. Isso é triste, mas é comum. Eu já abandonei mil projetos e ainda vou abandonar muitos outros. Você também deve certificar-se de que está enviando seus livros às pessoas certas. Não envie um livro de ficção científica para uma editora que só publica livros de autoajuda. E, por fim, tenha fé em si mesmo e no universo. Ele sempre conspira para que o melhor aconteça.

Eu sempre adorei me corresponder por cartas. É uma das coisas mais interessantes e divertidas que faço ultimamente. Então, sempre estou aberto a novos amigos. Você pode me escrever endereçando suas cartas para:

Rua Gênova, 1515b
CEP: 78555-414
Sinop/MT

Matheus Prado é um escritor brasileiro com cinco livros publicados. Sua obra percorre várias áreas, indo do romance histórico até a alta fantasia, mas tenta manter seu foco em thrillers e histórias de horror.

Seu estilo é marcado pela análise crítica, a ação desenfreada e as descrições precisas. Ao mesmo tempo, deixa o leitor livre para criar suas próprias visões da história, estimulado pelas frases curtas e certeiras. Seu último romance, o thriller “Santo Herege”, traz um misto de horror desconcertante, história das religiões e filosofia ocidental.

Formado em jornalismo com especialização em cinema e audiovisual, imprime uma linguagem gráfica em seus romances, criando no leitor a ilusão de que as histórias transcorrem diante dos seus olhos. Como roteirista e diretor, lançou dois longas-metragens, em 2016 e 2019.

Vive na pacata cidade de Sinop, no interior de Mato Grosso, onde divide seu tempo entre a escrita de romances, seus cursos de storytelling e as apresentações com sua banda de rock.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.