Matheus Prado

A importância do Feedback para os escritores

Conversar é uma das coisas mais importantes para os seres humanos. Só chegamos onde estamos, como espécie, porque em algum momento o homem aprendeu a conversar, o que levou a acordos e colaborações. E, ainda hoje, a comunicação é fundamental para nossa sobrevivência.

Mas o fato é que temos medo de conversar. Principalmente quando a conversa envolve um termo besta em inglês: o feedback.

Feedback é o retorno que recebemos com relação a algo que fizemos.

E o motivo de termo tanto medo do feedback é bem fácil de entender. Todos nós erramos, mas mesmo assim temos muito medo de errar. E toda vez que sentimos que nossas falhas vão ser expostas por alguém, pode ser quem for, surge um monte de preocupações na nossa cabeça: estou fazendo algo de errado? Vou perder meu emprego? Eu não levo jeito para isso, seja lá o que isso for.

Da mesma forma, quando estamos na situação contrária, a coisa também se complica. Ou vai me dizer que você nunca enrolou para lidar com um problema esperando que ele fosse se resolver sozinho? Tudo isso porque tinha medo de ferir ou magoar alguém com o seu feedback.

Mas os problemas não se resolvem sozinhos, não importa o quanto você procrastine. Eles só vão piorar. Só vão ficar maiores e mais assustadores. Porque é assim que a vida funciona e nós não podemos mudar isso.

Dar um feedback para uma pessoa (e eu não estou falando apenas de escritores, mas em todas as áreas da vida) pode ser importante até mesmo para o seu crescimento pessoal. Porque essa história de que não se aprende com os erros dos outros é lenda. É claro que experiências pessoais são mais valiosas, mas tudo pode ser um canal para o aprendizado.

Ao mesmo tempo, precisamos nos abrir para críticas e opiniões contrárias. Você não está sempre certo. O seu texto não será sempre bom. Suas histórias não serão interessantes sempre e nem para todo mundo.

Se você quer mesmo ser um escritor, precisa ter isso como norte. Em algum momento, as pessoas vão falar mal de você. Algumas pessoas vão odiar você e sua obra. Algumas delas vão falar isso diretamente para você. E o pior de tudo: talvez elas estejam certas!

Eu recebi muitos comentários ruins, de gente que achava e ainda acha o meu conteúdo péssimo. Ao mesmo tempo, recebo diariamente mensagens de pessoas que pediram para que eu não parasse de compartilhar conteúdos no tempo que fiquei sem postar. E foi por isso que eu voltei.

E a chave para não se jogar na linha do trem é estar em paz com você mesmo. Aprender a ouvir. E, mais do que isso, saber filtrar o que te fará crescer e o que é só ofensa e inveja disfarçado de feedback.

E, quando você aprender a fazer isso, por favor, me ensine.

Matheus Prado