Matheus Prado

Abandone todos os seus clientes

A dica de hoje foi baseada em uma palestra que assisti na Campus Party deste ano. O palestrante era ninguém menos que o Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden e apesar do clima de veneração sobre ele, seu conteúdo foi um dos mais valiosos de toda a feira.

Trata-se da ideia de diferenciação entre clientes e fãs. Todos nós, que vendemos alguma coisa, seja um livro, uma consultoria, o design de uma capa ou uma correção ortográfica, possuímos algum tipo de cliente. E quanto mais clientes nós conseguimos, mas satisfeitos ficamos.

Mas o fato é que não deveríamos nos preocupar com clientes. Muito pelo contrário. Nós devemos evitá-los a todo custo. Nas palavras do próprio Dickinson, “eu odeio clientes e os evito porque os clientes têm uma escolha”. O cliente pode decidir se ele quer ou não comprar o seu livro. Se ele encontrar outro sobre o mesmo tema de um outro autor e que esteja mais barato, ele pode escolher o outro e ignorar o seu. Já parou para pensar nisso?

E como resolver este problema? É simples. Não tenha clientes.

Poxa, então eu não devo vender meus livros? Eu não disse isso. O que estou tentando dizer é que você deve abandonar os clientes e conseguir fãs. Os fãs não têm escolha. Eles não vão trocar seus livros pelos livros de outro autor. Mesmo que o outro livro esteja sendo distribuído de graça, ainda assim eles comprarão e lerão o seu.

O fã é fiel a você até o último momento. Ele ama tudo que você faz, te segue nas redes sociais e vai em eventos onde você está. Ele te defende com unhas e dentes quando falam mal de você. Ele compra suas obras sem se importar com o preço. Mais do que o dinheiro, ele vê o valor da sua obra. O valor real, ou seja, o que ela acrescentará na vida dele.

Veja o exemplo do excelente escritor Fabio Yabu. Há muitos anos atrás, ele lançou uma série de HQs para a internet chamada Combo Rangers. Os personagens fizeram tanto sucesso que acabaram saindo da internet, sendo publicados em várias edições impressas pela editora JBC. Com o passar do tempo, o autor resolveu abandonar a publicação, pois, apesar do sucesso das edições, ele já não tinha mais como pagar os artistas que produziam as aventuras. E então, uma horda desesperada de fãs órfãos surgiu.

A insistência dos fãs foi tanta que, muito tempo depois, o Yabu decidiu criar um projeto no Catarse, um site de crowdfunding, para financiar novas edições da série. Num primeiro momento, ele desejava conseguir R$ 40.000 para custear as três primeiras edições. Mais do que isso, ele conseguiu quase R$ 70.000 em poucos dias.

Os fãs do Yabu não tinham escolha. Ele escreveu histórias tão incríveis e os cativou de tal maneira que eles PRECISAVAM ler as aventuras dos Combo Rangers mais uma vez. Se eles fossem apenas clientes, teriam ignorado completamente o chamado. Prefeririam baixar ilegalmente algum mangá dos milhares de sites que divulgam este conteúdo.

Tenha isso em mente quando for escrever seus livros. E, principalmente, quando for desenvolver sua relação com seus leitores. Para eles, seu livro não deve ser apenas mais um livro. Deve ser a coisa mais importante que eles já tiveram nas mãos. É por esse motivo que você deve ser sempre original e não uma cópia barata de um outro escritor qualquer.

Pode até parecer bacana ser comparado com um grande autor, como o Stephen King, por exemplo. Você pode se orgulhar disso. Mas lembre-se que um cliente sempre preferirá comprar o pior livro do Stephen King do que o melhor livro do seu imitador. Busque a originalidade sempre e obtenha fãs pelos seus próprios trabalhos.

As dicas estão sendo úteis? Então não deixe de comentar sobre o que achou do post. Nos vemos novamente em breve.

Matheus Prado