Ninguém tem a menor dúvida quanto os benefícios que os computadores e, em especial, a internet, trouxeram para as nossas vidas. Desde a capacidade de conversar instantaneamente como pessoas do outro lado do mundo até a facilidade em localizar qualquer tipo de conteúdo sobre qualquer assunto, é impossível imaginar humanos sobrevivendo sem as máquinas.

Mas, além das teorias de conspiração e dos plots manjados das histórias de ficção científica sobre robôs assumindo o poder, nos vemos presos por outro tipo de problema envolvendo os computadores: eles nos deixaram ainda mais procrastinadores.

A procrastinação está cravada no nosso código genético. Nosso ser adora realizar tarefas inúteis, que não gastem nossa energia, porque isso — deveria — nos manter vivos. Aquele passado nômade e absurdamente perigoso ficou para trás e, agora, nosso cérebro grita o tempo todo: relaxa, você faz isso amanhã ou você começa na segunda-feira.

E se a coisa já estava ficando complicada com os computadores, a medida em que eles encolhem e se tornam mais poderosos e acessíveis, nossa preguiça só tende a piorar. Hoje, somos verdadeiros escravos dos smartphones e não conseguimos sequer nos locomover pela cidade sem a companhia deles.

De qualquer forma, não vou tentar prever o futuro ou discorrer largamente sobre os impactos das tecnologias na humanidade.

O objetivo deste texto será, unicamente, conversar sobre como esse acesso massivo à informação tem afetado — negativamente — nossa rotina como produtores de conteúdo, seja você escritor, ilustrador, músico, cineasta ou qualquer outra profissão em que a criatividade seja o principal ingrediente.

Os desafios da era da Internet

Embora a vontade de contar histórias estivesse presente na minha vida desde sempre, decidi que queria ser escritor aos 12 anos. Nessa época, passava horas e mais horas sentado na mesa da sala de estar escrevendo sem parar em pequenos cadernos que depois eram distribuídos para meus amigos.

Naquela época, nada me distraía dos meus objetivos. Se eu queria assistir um programa na televisão, deixava as minhas ferramentas de trabalho de lado por alguns minutos, assistia e logo voltava ao trabalho duro. Escrever era minha missão.

Conforme os anos passaram e outras obrigações surgiram, o hábito de escrever foi ficando cada vez mais abandonado. Em pouco tempo, eu já não escrevia uma única palavra durante dias. E, quanto mais velho eu ficava, mas o problema se agravava.

Até que comprei meu primeiro computador.

Aquela vontade incontrolável de escrever voltou com força total. Como ainda não tinha acesso a internet, passava os dias em frente ao Microsoft Word, escrevendo como se minha vida dependesse disso. E ela dependia. Foi um período muito produtivo, em que muitas coisas aconteceram.

Mas, como tudo o que é bom dura pouco, logo fui apresentado ao sombrio mundo da internet via rádio. Aquela conexão extremamente lenta foi capaz de explodir a minha cabeça e me afundar em um mundo de… Nada. Absolutamente nada.

Agora, todo tempo em que eu estava em frente ao computador era desperdiçado em sites como o Orkut. E eu mal sabia que este era apenas o início de um problema ainda maior: as redes sociais.

Com o tempo, fui ficando cada vez mais soterrado no mar de informações que a internet nos proporciona. E, obviamente, menos produtivos.

Claro que nem tudo estava perdido. Com o passar dos anos, finalmente notei o meu problema e desenvolvi algumas formas de reverter esse processo. No começo, foi muito difícil, mas… Todas as grandes decisões são difíceis.

O primeiro passo para se tornar mais produtivo trabalhando com computadores é reduzir as distrações. Ao mesmo tempo, este é o maior desafio de todos, caso você não seja um monge tibetano super concentrado.

Mas não se preocupe. Nos parágrafos abaixo, vou te dar algumas dicas que podem te ajudar a parar de perder tempo quando seu objetivo for produzir conteúdo. O objetivo principal é retomar o controle do seu próprio cérebro e despertar a criatividade.

#01 – Faça uma coisa de cada vez

Você pode achar que é capaz de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Mas não é. Simples assim. O cérebro humano é muito avançado e, ao mesmo tempo, extremamente limitado. Ao contrário dos computadores, que realizam várias tarefas com velocidade e precisão, nosso cérebro não tem (ou não desbloqueou, vai saber) essa capacidade mística. Muitas vezes, podemos até pensar que estamos sendo produtivos e realizando muitas coisas, mas só estamos estendo o tempo que levaríamos para finalizar um trabalho.

Então, sempre que notar que está tentando fazer mais de uma tarefa ao mesmo tempo, pare, respire e decida qual a prioridade daquele momento, em especial. Se concentre nesta tarefa e, quando finalizar, parta para a próxima.

#02 – Use apenas uma tela de cada vez

A possibilidade de trabalhar enquanto lê suas mensagens no WhatsApp, assiste ao noticiário na TV e ri com um stand up na Netflix fez com que acreditássemos – erroneamente – que somos capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Mas isso é mentira e só nos torna menos produtivos e mais dispersos, como eu disse na primeira dica.

Dessa forma, a melhor coisa a se fazer é usar a regra de “uma tela por vez”. Se for assistir TV, apenas TV. Se for mandar mensagens pelo celular, apenas use o celular. Mas, se estiver produzindo em seu computador, apenas produza em seu computador.

#03 – Desative todas as notificações

Computadores e smartphones são as melhores ferramentas que existem para nos manter informados sobre o que esta acontecendo no mundo. Ao mesmo tempo, não podemos negar que a maioria esmagadora das notificações que recebemos ao longo do dia não passam de distrações. E, se você for incomodado por uma mensagem no WhatsApp enquanto produz, pode sucumbir ao desejo de olhar e mandar sua produtividade para o espaço.

Por isso, desative todas as notificações dos seu computador/celular ou simplesmente saia dos sites e aplicativos que enviam esses avisos. Se você não puder vê-los ou ouvi-los, eles não poderão controlar você.

#04 – Tente desativar todos os anúncios

Existe uma questão ética sobre isso. Muitas pessoas afirmam que os anúncios são a principal fonte de renda de alguns produtores e sei que isso é verdade. Mas também sei que esta é a forma mais invasiva e menos eficaz de se ganhar algum dinheiro. Além do mais, os anúncios podem te distrair mortalmente quando estiver produzindo algum conteúdo.

Por isso, use ferramentas como o AdBlocker ou AdGuard para se livrar dessas distrações. Se sua consciência pesar, considera utilizar aplicativos e serviços de assinatura que oferecem opções se conteúdo sem anúncios para usuários pagantes. E se nenhuma das opções for possível, tente não entrar na Internet, nem mesmo para uma pesquisa rápida, enquanto estiver produzindo.

#05 – Não encha o seu navegador de abas

Com o surgimento do Google Chrome, a maioria dos usuários da internet foi acometida por um mal terrível: as milhares de abas abertas. Esse é um mal do qual tento me livrar todos os dias, principalmente porque sei que a maioria das milhares de abas abertas nem são tão necessárias assim. E elas só me fazem perder tempo.

Se sofrer deste mesmo mal, faça o possível para não abrir mais do que três ou quatro abas ao mesmo tempo. Uma única aba seria o ideal, mas… Sabemos que é quase impossível.

#06 – Cancele todas as inscrições inúteis

Uma boa higiene é importante em todos os locais. Até mesmo na sua caixa de emails ou na sua lista de canais no YouTube. Por isso, tente cancelar as inscrições inúteis ou suspeitas ao menos uma vez por mês. Pode ser um processo lento e trabalhoso, mas sempre vale a pena.

Limpe sua caixa de entrada com frequência. Exclua o lixo eletrônico para não precisar mais olhar para ele e, se seu serviço de e-mails permitir (como no Gmail ou no Zoho) organize as mensagens em pastas, para que você possa encontrá-las sempre que quiser.

#07 – Desligue a Internet

Você pode me dizer: ”agora você pegou pesado, cara”. Eu aceito sua objeção… Mas essa é a maneira mais eficaz que existe de se ver livre das distrações. Se existe internet, existe a possibilidade de procrastinar. Grandes autores, como George R.R. Martin, escrevem em computadores sem acesso a internet ou qualquer tipo de distrações. Alguns mais saudosistas ainda usam máquinas de escrever. Outros (como eu) preferem escrever o primeiro rascunho com a velha caneta e papel. Não importa como você faz, o importante é fugir das doces e terríveis garras da internet.

Se precisar consultar alguma informação importante, use alguns “X” no texto e não interrompa o flow, porque esse estado é difícil de alcançar. Tenha em mente o fato de que você sempre pode pesquisar depois. Pode parecer extremo se livrar da internet no momento de criar, mas, como máquinas malucas que somos, muitas vezes a força de vontade não é suficiente para nos ajudar e nós precisamos remover fisicamente a tentação da nossa vista.

***

Espero que tenha gostado destes conteúdos. Amanhã, vou continuar neste assunto e te apresentar algumas técnicas incríveis para que você possa melhorar a sua criatividade no momento da produção do seu conteúdo. Nós vemos em breve! 🙂

Comentários do Facebook

 O que você achou deste conteúdo? 

Deixe a sua opinião nos comentários, para que eu possa melhorar e trazer as melhores dicas para você. E lembre-se de assinar gratuitamente a newsletter, para que você possa receber os nossos posts diretamente no seu e-mail. Você também pode assinar o meu canal no YouTube e conferir os vídeos todas as semanas sobre literatura e escrita criativa.
Powered by Rock Convert

Entre para minha lista VIP e receba os conteúdos mais exclusivos sobre storytelling diretamente no seu e-mail

Junte-se a mais de 3200 pessoas

Não enviamos spam e o seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Matheus Prado
Matheus Prado

Matheus é jornalista, escritor e cineasta. Acredita que a vida é um oceano profundo e que devemos nos aventurar muito além da superfície.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.