Algumas pessoas só conseguem escrever quando estão inspiradas. Esse é um dos clichês sobre a escrita (e praticamente todas as áreas criativas) que as pessoas mais acreditam, ao ponto de transformarem a lenda em algo real. Elas simplesmente não escrevem se não houve um sopro divino.

Mas existe um fato curioso aí: quando se é criança, você não precisa de inspiração para criar. Você simplesmente se senta com seus brinquedos e já começa a imaginar as histórias mais loucas. A única coisa que define até onde você pode chegar com a sua criatividade é a sua própria vontade de criar.

Porém, a medida em que crescemos, essa habilidade parece desaparecer. Para a maioria de nós, o crescimento significa o esgotamento da fonte das boas histórias e apenas alguns poucos sortudos permanecem criativos em tempo integral.

Por que isso acontece? Existe uma forma de se tornar mais criativo?

A inspiração não é algo místico. Não é um dom especial enviado pelos deuses para manter algumas pessoas na frente das outras. Como qualquer habilidade humana, a criatividade pode ser aprendida, hipertrofiada e moldada com base nos nossos interesses. Mas o caminho é longo, já devo avisar.

Neste artigo, vou te dar algumas ideias sobre como praticar e desenvolver um pouco mais a sua capacidade criativa, para que essa quarentena se transforme numa das épocas mais produtivas que você já viveu.

Antes de tudo, porém, devo alertar que, embora soem como regras, as dicas desta publicação são mais orientações. Estão organizadas em formatos de lista porque sabemos que as ideias ficam mais inteligíveis desta forma.

01 – Escreva TODOS os dias

Essa, sem sombra de dúvidas, é a dica mais frequente que já dei, tanto aqui no site quanto lá no meu canal do YouTube. Porque ela é importante mesmo e eu sou a prova viva disso. É até difícil de mensurar o tanto que evolui enquanto escritor quando comecei a escrever diariamente, porque a mudança é drástica demais.

Eu sei que você deve estar pensando:

É fácil falar, mas meu dia é muito corrido.

Ou o mais comum:

Eu não tenho tempo para escrever todos os dias.

Então vou te dizer com todas as letras: isso é mentira. Você tem tempo. Não importa o quanto você trabalhe, o quanto a sua vida é difícil ou o quanto as suas obrigações te consumam. Você tem algum tempo livre para escrever.

Pode ser aquela hora que você senta no sofá, pouco antes de dormir, e liga a televisão, mas fica distraído com as atualizações no feed do Instagram (por falar nisso, clique AQUI e me siga lá :D). Pode ser no primeiro momento do dia, quando você acorda e fica meia hora deitado, olhando para o teto, com preguiça de levantar.

Isso não importa. O que importa é escrever e isso nos leva a nossa segunda dica.

02 – Descubra sua melhor hora para escrever

É bem provável que você esteja buscando o tão sonhado emprego de “escritor(a) em tempo integral”. Este é o sonho de muitas pessoas e foi o meu durante anos, devo dizer. Mas, quando você chega lá, acaba notando que as coisas não são como imaginávamos. Há uma série de outras atividades não profissão do escritor que não se referem necessariamente ao ato de escrever. Como em qualquer outro emprego.

Ao mesmo tempo, existe o fato de que somos mais propícios a criar em determinadas horas do dia. Alguns são mais produtivos pela manhã, outros escrevem muito mais durante a noite e outros só conseguem libertar suas palavras durante a madrugada. Não importa qual você seja, porque não existe um que esteja certo e outro que esteja errado.

A única coisa que você precisa é descobrir o seu momento e fazer de tudo para que, todos os dias, você esteja pronto e disponível para escrever naquela hora. Se descobrir que sua escrita flui mais pela manhã, então você vai usar esse tempo apenas para escrever. As demais tarefas da sua agenda serão realizadas em outro momento.

Caso você tenha um emprego formal (mesmo que em home office por conta da quarentena), terá que adotar uma rotina diferente, onde a escrita tenha algum destaque. Escritores escrevem! Se você não encarar a escrita como um processo importante, ela nunca será, de fato, importante para você.

Encontrar a melhor hora para escrever pode ser difícil e é bem provável que você precise fazer alguns malabarismos para conseguir, se tiver horários apertados. Mas, o importante é ser realista. Não me diga que seu melhor horário é as 4 horas da manhã, sendo que você também precisa estar acordado das 8h às 18h para o seu emprego formal. Com senso nunca é demais.

03 – Comece a dizer “Sim” para a escrita

Parece dica barata de auto-ajuda? Sim, parece. Mas não é, vai por mim. O conceito é absolutamente simples e fácil de entender: se não é sim, é não. Ou você diz sim para sua vontade latente de tirar as ideias da cabeça e jogá-las no papel ou você dirá não para tudo isso.

E se você disser não, as ideias apodrecerão e morrerão dentro da sua cabeça. Você não quer que isso aconteça, não é mesmo? Eu sei que não.

Escritores “de verdade” são aqueles que sempre dizem sim. Aqueles que atendem o chamado da criatividade. Entender isso ajuda você a seguir os dois conselhos anteriores e se tornar alguém mais ativo, quando o assunto é construção de mundos e de histórias.

Você PRECISA escrever.

É uma necessidade espiritual para a maior parte das pessoas, mas também é algo fisiológico para todos os escritores. Mesmo assim, o seu cérebro insiste em dizer que quer o contrário. Ele foi programado para poupar esforços e é por isso que vive repetindo na sua cabeça:

Agora não… você escreve depois… durma um pouco mais…

E você, seguindo essa voz, apenas concorda.

O seu cérebro sempre vai querer que você ”evite a fadiga”, como diria o Jaiminho. Nossa cabeça age deste jeito porque isso funcionou por séculos, uma vez que o ser humano sempre precisou manter um estoque alto de energia, que não deveria ser gasta de qualquer jeito. Consegui alimento era muito difícil e, quase sempre, representava algum risco de vida.

Mas as coisas mudaram. O ser humano não mora mais nas cavernas e nós não precisamos mais poupar energia. Na verdade, temos energia de sobra, acumulando-se em nosso organismo e entupindo nossas artérias. Precisamos gastar e dizer sim para a escrita é uma forma de fazer isso.

Conclusão

Espero que você tenha gostado destas dicas. E também que esteja disposto a seguir todas elas para mudar sua forma de encarar o ato de escrever. Entender estes pontos e segui-los com rigor me ajudou a mudar minha mentalidade e entender a escrita como minha profissão, não apenas como um hobby.

Não há nada de místico na escrita, embora possa ser bem espiritual para algumas pessoas. Para mim também é. Não há problemas em encarar as coisas dessa forma, desde que isso não atrapalhe a fluência das suas ideias.

Então escreva. Todos os dias, na hora que você achar melhor, sempre lembrando do SIM. Isso é o que eu posso te dizer. O resto é com você.

É isso aí. Obrigado pela visita e boa escrita. 😀

Comentários do Facebook

 O que você achou deste conteúdo? 

Deixe a sua opinião nos comentários, para que eu possa melhorar e trazer as melhores dicas para você. E lembre-se de assinar gratuitamente a newsletter, para que você possa receber os nossos posts diretamente no seu e-mail. Você também pode assinar o meu canal no YouTube e conferir os vídeos todas as semanas sobre literatura e escrita criativa.
Powered by Rock Convert

Entre para minha lista VIP e receba os conteúdos mais exclusivos sobre storytelling diretamente no seu e-mail

Junte-se a mais de 3200 pessoas

Não enviamos spam e o seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Matheus Prado
Matheus Prado

Matheus é jornalista, escritor e cineasta. Acredita que a vida é um oceano profundo e que devemos nos aventurar muito além da superfície.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.