Para a maioria dos autores, tanto novatos quanto veteranos, a maior reclamação não está relacionada a falta de ideias, mas a falta de tempo para desenvolvê-las. Isso porque o mundo moderno encheu nossos dias de compromissos inadiáveis, problemas insolúveis, horários apertados e rotinas sufocantes. Mas, ainda assim, uma coisa é certa: escritores escrevem. Se você não está escrevendo… você não é um escritor.

Não tome esta frase como dura ou arrogante. Ela esta aí para funcionar como um alerta para aqueles que passam o dia sonhando como o memento de parar e escrever, mas que simplesmente não escrevem quando encontram essa oportunidade. Para aqueles que reclamam que o dia anda curto demais.

Neste artigo, vou te apresentar quatro formas funcionais que grandes escritores usam para conseguir separar um tempo do dia para escrever. Se você segui-las da maneira correta, garanto que será capaz de escrever – pelo menos – duas mil palavras diárias.

Fazendo isso, você se tornará muito mais produtivo, ao mesmo tempo em que desenvolverá sua sua escrita com mais eficácia. É a prática que leva a perfeição. Quanto mais você escrever, mais habilidoso será e mais chances terá de se destacar na profissão.

Afinal, o mercado é bem competitivo e isso independe dos escritores. O fato é que autores como Stephen King, que lançam pelo menos um (as vezes dois) livros por ano, permanecem muito mais tempo na cabeça das pessoas. É verdade que muitas obras acabam se tornando ruins, mas isso é algo que também pode ser aperfeiçoado.

Todos os caminhos levam a Roma

Este artigo não é uma receita de bolo. Não existe uma única forma de encontrar tempo para escrever, como você já deve saber. O que vou te apresentar aqui são formas que costumam dar certo com aqueles que realmente querem fazer da escrita uma parte fundamental da rotina diária.

As principais abordagens são:

  • Rotina diária: escrever todos os dias em um horário definido;
  • Rotina semanal: escrever uma dia da semana, em um horário definido;
  • Escrita espontânea: começar a escrever sempre que uma ideia surge na cabeça;
  • Escrita profunda: separar dias inteiros para escrever sem parar.

Para este pobre escriba que vos caneteia, o ponto que deu certo é bem definido: rotina. Eu já disse isso em mais de um artigo, mas não custa repetir. Eu escrevo todos os dias, faça chuva ou faça sol, seja dia útil ou feriado. Não importa se estou bem de espirito, se estou triste, se estou magoado ou se acabei receber a melhor notícia da minha vida.

Quando chega o meu horário de escrever, paro tudo, fico na frente do computador por – pelo menos – uma hora e escrevo sem parar. Deu certo para mim e pode dar certo para você.

Costumamos usar o termo rotina como sendo algo ruim, tedioso e problemático. O fato, porém, é que a rotina é uma das maiores aliadas de um escritor produtivo. Sem rotinas, tudo o que resta é a incerteza e os temidos bloqueios criativos. Mas é claro que criar rotinas não é a única forma.

Por isso, antes de tudo, você precisa responder uma pergunta:

Escrever é importante para você?

Pense bem antes de responder. Fique tranquilo, porque eu não quero saber sua resposta, mas saiba que ela é que vai definir os seus próximos passos. Vale a pena perder horas de sono se você não considera a escrita importante? Vale a pena trocar a companhia dos seus amigos e familiares se por algumas horas na frente do computador se você não considera a escrita importante?

Se a resposta for positiva, não tenho dúvidas de que este artigo será de grande ajuda. Afinal, todo os resultados dependem apenas de você.

01 – Faça uma autoavaliação e escolha uma abordagem

O primeiro passo é saber quem você. Como entender o que pode funcionar se você não sabe como sua própria mente funciona? Sun Tzu, o general chinês que escreveu A Arte da Guerra disse que:

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo e nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”.

Autoconhecimento é fundamental para vencer essa batalha que é escrever com fluidez e frequência. Confira seus hábitos. Tente escrever em vários horários para descobrir em qual as coisas fluem com mais naturalidade. Tente dormir em horários diferentes. Acorde mais cedo e tente escrever. A única forma de descobrir e testando.

Uma dica interessante é olhar outras áreas da sua vida em que você conseguiu se realizar. Um grande objetivo que você tinha, como entrar em uma faculdade, comprar um carro ou passar em um concurso público. Como você se organizou para este feito? Como se preparou? A mesma forma pode funcionar para a escrita também.

Uma boa forma de começar é dar ouvidos aos seus instintos. Obviamente, eles não serão seu único instinto para sempre, mas podem ajudar a deixar as coisas mais claras quando não sabemos para onde ir.

02 – Reconsidere a forma como gasta seu tempo

Tempo é um bem de consumo. Ainda que nos esqueçamos deste detalhe, o tempo cumpre como seu papel e desaparece tão rápido que, na maioria das vezes, agimos como viciados em busca de novas doses de tempo. Sempre queremos mais… e sempre perdemos. É um ciclo vicioso.

E, ainda que eu não te conheça pessoalmente, posso apostar com qualquer um que você desperdiça a maior parte do seu tempo livre. É bem provável que desperdice até mesmo uma parte significativa do seu tempo de trabalho.

Não, eu não sou um telepata. Todos nós somos assim e é por isso que a procrastinação é, para mim, o grande mal do século. Somos programados para procrastinar.

Por isso, tente repensar no que você fez nas últimas semanas e veja como usou o seu tempo. Pegue sua agenda, caso tenha uma, e confira cada compromisso. Em seguida, tente listar o que foi útil e o que foi desperdício de tempo. Faça o mesmo para compromissos pessoais, sem ligação com trabalho.

Ao fim deste exercício, acredito que chegará a conclusão de que jogou fora muitas e muitas horas que poderiam ter sido usadas para escrever ou até mesmo descansar. Boa parte dos problemas que nos atormentam são criados pelo nosso próprio impulso, mas não conseguimos perceber porque não olhamos para trás e não ligamos os pontos.

Também há softwares que ajudam nesse processo. A maioria dos celulares e computadores apresentam relatórios completos de utilização, dizendo quanto tempo você dedicou para tarefas uteis e quanto desperdiçou com redes sociais e coisas do tipo. Preste atenção nos detalhes e reflita.

Depois de descobrir o que anda fazendo de errado, tente mudar sua rotina. Você passa três horas por dia assistindo a Netflix? Tente passar apenas uma e dedique as outras duas para a escrita. Grandes pretenções exigem grandes sacrifícios.

03 – Registre a forma como gasta o tempo

Essa dica complementa a anterior. Caso não seja capaz de observar sua rotina nos dias passados, tente monitorá-la a partir de hoje! Hoje mesmo. Agora. Abra um caderno ou um bloco de notas e escreva sua rotina diária, conforme ela ocorrer. Ao fim do dia, confira o que foi útil.

Faça isso por uma semana e tente tabular da melhor forma possível os dados obtidos. E então tire suas conclusões. O que estes números querem dizer? Você está dormindo muito, pouco ou na medida certa? Acorda que horas? Passa quanto tempo no serviço? E na academia? E no computador? Está desperdiçando seu tempo precioso?

Lembre-se da primeira dica: autoconhecimento é tudo!

04 – Planeje tudo e crie calendários de escrita

Esta próxima dica pode parecer complicada para quem não tem o hábito de criar rotinas, mas ela é fundamental para quem quer viver da escrita. Escritores profissionais tem prazo, não importa quem eles sejam.

Até mesmo o George R.R. Martin, que vem anunciando o próximo livro das Crônicas de Gelo e Fogo há uns dez anos, tem prazos para cumprir.

Criar um calendário de escrita te ajuda a cair na real e começar a escrever. Sempre achamos que não é a hora certa, que precisamos de mais inspiração, de mais incentivo, de mais recursos… E isso faz com que a escrita seja deixada de lado. Mas, se você agir como um profissional, tem grandes chances de mudar esse pensamento errado.

Encare sua escrita como uma parte fundamental do seu dia e defina um prazo para produzir e concluir seu projeto, seja ele qual for.

Se estiver escrevendo uma romance, defina algo como:

  • Estruturação dos personagens: uma semana;
  • Estruturação dos capítulos: 2 semanas;
  • Escrita do primeiro tratamento: dois meses;
  • Primeira revisão: duas semanas;
  • Segunda revisão: duas semanas.
  • Finalização: uma semana.

Esse é só uma exemplo, mas resume a forma que eu utilizo para escrever minhas histórias. Dependendo da complexidade, os prazos podem diminuir ou aumentar. Isso só depende de você.

O importante é fazer o possível para cumprir religiosamente os prazos estabelecidos.

Caso não escreva todos os dais, compre um calendário físico (comigo funciona melhor) e defina todos os dias que pretende escrever. Marque as datas de entrega e os dias de descanso. Trate a escrita como um trabalho, não apenas como lazer. Se algum imprevisto acontecer, reprograme o calendário, mas não o abandone.

Isso tornará o seu tempo mais útil e te aproximará ainda mais do seu objetivo, caso ele seja viver profissionalmente da escrita.

Como aproveitar ao máximo o seu tempo de escrita

Depois de escolher sua abordagem e praticar por alguns dias, tente ter certeza de que as coisas estão dando certo. Não se prenda a regras, só porque eu te disse que elas são importantes. Se algo não funcionar com você, não force a barra. Tente outras técnicas, outros horários, outros pontos de vista.

Acima de qualquer coisa, não compare o seu desempenho com o de outros escritores. Cada pessoa pensa, age e criar de uma forma diferente. Alguns autores escrevem mais, outros escrevem menos… Isso não importa, no fim das contas.

E você também não deve se sentir mal quando algo der errado ou quando não conseguir encontrar um tempo para escrever. Isso acontece. Lembre-se do Joseph Climber:

A Vida é uma Caixinha de Surpresas

Infelizmente, a vida vai atrapalhar sempre que ela puder (porque, universo?) e sentir-se culpado não vai te ajudar a superar.

Tente aplicar essas três dicas simples:

Prepare-se. Tenha sempre à mão as ferramentas certas e saiba o que você está escrevendo. Ande sempre com blocos de notas, moleskines ou o que funcionar para sua rotina. Escreva sempre que as ideias surgirem, ainda que sejam pequenos tópicos. As ideias estão no ar.

Não procrastine! Essa é minha única regra de verdade. Você até pode desperdiçar um pouco de tempo com coisas inúteis, mas deve fazer isso com moderação. A procrastinação pode acabar com a sua carreira, então afaste-a sempre que ela aparecer para te assombrar. Estabeleça limites para tudo.

Recompense-se. Algumas pessoas não gostam desta técnica, de oferecer pequenas recompensas pelo trabalho realizado. Para mim, porém, funciona de forma magistral e pode funcionar com você também. O importante é manter a recompensa com um extra e não como o prêmio final. Você não escreve esperando recompensa, você escreve porque precisa. Porque isso é o que você é. As recompensas são só um pequeno extra.

Novamente, vou repetir o que já disse antes:

Escrever é importante para você?

Se a resposta for positiva, você vai dar um jeito, não importa o tamanho das dificuldades. Você vai achar um horário na sua agenda, nem que seja as 2h da manhã de um domingo.

Espero que tenha gostado deste artigo e que ele te ajude a encontrar tempo para escrever. Uma boa forma de me dizer se gostou mesmo é compartilhando com o máximo de pessoas que puder. Afinal, tenho certeza que você conhece mais alguém que também pode gostar. Então, seja uma pessoa legal e compartilhe! Não guarde as coisas boas só para você.

Você também pode assine minha newsletter para receber os melhores conteúdos sobre storytelling, escrita criativa, copywriting e muito mais diretamente no seu e-mail, de graça. Os links estão abaixo e acima deste post.

Obrigado pela visita, volte sempre e boa escrita. 😀

Comentários do Facebook

 O que você achou deste conteúdo? 

Deixe a sua opinião nos comentários, para que eu possa melhorar e trazer as melhores dicas para você. E lembre-se de assinar gratuitamente a newsletter, para que você possa receber os nossos posts diretamente no seu e-mail. Você também pode assinar o meu canal no YouTube e conferir os vídeos todas as semanas sobre literatura e escrita criativa.
Powered by Rock Convert

Entre para minha lista VIP e receba os conteúdos mais exclusivos sobre storytelling diretamente no seu e-mail

Junte-se a mais de 3200 pessoas

Não enviamos spam e o seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Matheus Prado
Matheus Prado

Matheus é jornalista, escritor e cineasta. Acredita que a vida é um oceano profundo e que devemos nos aventurar muito além da superfície.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.