Olá, meus amigos escritores. Estamos de volta para mais um vídeo do canal com conteúdo exclusivo para escritores. Hoje, na segunda parte do nosso vídeo sobre as diferenças básicas entre bons e maus escritores, vamos abordar as características dos escritores ruins. O que eles fazem e como fazem. Como se espalham pelo mundo e como um escritor talentoso pode ser tornar um escritor ruim. Assista o vídeo abaixo e deixe sua opinião nos comentários.

Os escritores ruins tem convicção de que sua escrita é perfeita e que já alcançaram um nível de excelência praticamente inalcançável. Eles não tem dúvida quanto a qualidade dos seus textos e é por isso que nunca se rebaixam ao ponto de ter que editar seus textos. Reescrever, então, é o completo fundo do poço.

Escritores ruins são sempre altivos e orgulhosos. Escrevem em máquinas de escrever de 1950, por que os grandes escritores escreviam em máquinas de escrever. Mas abandonam todo o processo porque a máquina é barulhenta e não deixa ninguém dormir.

Escritores ruins também acreditam que a escrita é algo mágico, quase divino. É por isso que só escrevem quando estão inspirados. O que quer dizer que passam anos sem colocar nenhuma palavra no papel.

Mas sabe qual é o principal defeito dos escritores ruins? Eles tem medo. Medo de expor seu trabalho para o mundo e receber alguma crítica muito pesada. Medo de falhar. Medo do julgamento. Então eles fecham numa bolha e tentam se convencer de que tudo o que eles produzem é perfeito. E eles realmente acreditam que são ótimos. Não querem mudar. Não querem crescer.

Muitas vezes, quando um editor diz a um escritor ruim que ele precisa reescrever uma parte do texto ou mesmo abandoná-lo, ele entra na defensiva automáticamente. Alguns preferem abandonar o editor, com a desculpa de que ele não entende a sua arte.

Você se identificou com qual destes exemplos? Se for com o primeiro, do vídeo anterior, tudo ótimo. Siga em frente e conquiste tudo. Mas se for com o segundo, é importante que tome algumas medidas. Faça sua escolha.

Antes de tudo, escreva. Continue escrevendo enquanto seus amigos estiverem se divertindo. Escreva nos feriados e nos fins de semana. Seja perseverante. Ouça o que as pessoas tem a dizer sobre o seu trabalho. Não coloque tudo nas costas deles, mas não despreze uma opinião só porque você é o senhor escritor sabichão.

Aceite o fato de que você pode ser um escritor ruim. Mas a melhor coisa de ser um escritor ruim é saber que você pode melhorar. Sua força de vontade é o seu limite. Você pode superar qualquer limite que a vida tenha te imposto, uma vez que sempre será possível encontrar alguém que conseguiu vencer e que estava numa situação muito pior do que a sua antes disso.

Seja humilde. Ouça os conselhos dos mais experientes e mude sempre que necessário. Ninguém vai te julgar por aceitar os seus erros e tentar mudá-los.

É o que você faz da sua vida e da sua escrita que define se você é um bom ou um mal escritor. Só depende de você.